Páginas

domingo, 17 de julho de 2011

FILOSOFIA DO COTIDIANO - ESTRESSE VERSUS EDUCAÇÃO

Quem nunca passou pela situação? Aquele dia em que você vem já embolado com duzentas mil chatices pra resolver e precisa parar pra comprar alguma coisa que realmente tem que ser naquela hora, porque se ficar pra depois, fróideu! Quando fica pra depois a gente esquece e só lembra mesmo quando mais precisa. Daí você entra esbaforido na tal da loja – pode ser farmácia, padaria, sex-shop, sei lá – vira pro menino ou menina do balcão e vai falando o que quer afinal, a pressa: ela existe!

- Opa? Me dá um negócio aí daquele sei-lá-o-quê!

Ao invés de correr pra te atender o infeliz nem se mexe do lugar. Na maior calma solta um incisivo, pontiagudo mesmo, praticamente perfurante: “Boa Tarde”...

Tem um inconseqüente tom de reprimenda nesse “boa tarde” da “figura” - primeiro por sua evidente pressa e segundo por não te conhecer. Vai que você é um doido surtado e resolve quebrar tudo. Mas tem também uma ponta de cinismo nesse tipo de atitude, causado talvez pela diferença entre classes sociais. Afinal o cara não quer te desejar uma boa tarde, quer é dizer que você, apesar de parecer um sujeito bem de vida, foi mal educado ao não falar boa tarde pra ele.

Mas imagine a contradição social humana que permeia questões idiotas como essa. O que será que passa na cabeça daquele filho de Deus, que está ali única e exclusivamente com o propósito de atender clientes, pra ignorar pessoas com tanta tranqüilidade? Será que esse tipo de atitude denota algum problema de auto-afirmação? É fato que ele precisa corrigir pessoas e mostrar que está no comando: eu dito o ritmo, você me dá boa tarde e espera... Entendeu seu mal educado?

Sei apenas amigos que muitas pessoas tocam a vida assim, dando lições de moral nesses “grosseirões” soltos pelo mundo, como aqueles que adoram gritar e buzinar alucinados para as pessoas no trânsito porque vêem algo errado acontecendo. Ora, vá fazer concurso pra polícia e para de encher o saco!

SÓ PRA TERMINAR: O QUE DEVERIA SER RESPONDIDO AO ATENDENTE?

       A)     Pera lá: e onde fica aquela história de que o cliente sempre tem razão?
       B)     Chama lá o dono do estabelecimento que eu quero dar boa tarde pra ele também!
       C)     Boa tarde querido amigo, desculpe não ter te cumprimentado antes, mas sabe? Não sei se você percebeu? Eu estou com um pouquinho de pressa...
      D)     (colocando um 3Oitão em cima do balcão) Pega logo o que tô pedindo aí ô mané! Se eu quisesse ficar de conversa fiada não estava aqui falando com você!

2 comentários:

Betta Allmeida disse...

Engaçado como são as coisas, isso me aconteceu ontem.
Minha vontade foi de voar por cima do balcão, e pegar o remédio>
P.Q.P, alem de estar sentido dor, e de estar em horário de almoço, ainda tenho que sorrir e dar boa tarde??

Juca Magalhães disse...

Esse tipo de atitude em farmácia é o pior de todos, geralmente quando chegamos em uma é porque o calo apertou...

Bjs querida