Páginas

domingo, 19 de agosto de 2012

CRÔNIKA DE DOMINGO: SEM EFICÁCIA NEM NADA

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem

Cazuza – Blues da Piedade

Todos nós temos as nossas implicâncias, não é? Vivo falando de algumas das minhas aqui na Crônika de Domingo e em tudo quanto é lugar. Sou mais reclamão do que percebo, minha mulher é que sempre puxa a minha orelha quando pego engarrafamento ou não arrumo lugar pra estacionar. Esses dias vi o Lobão escangalhando com o Gilberto Gil, contou a história de um vídeo tetra engraçado do então Ministro de Cultura numa palestra e que o cara que mostrou o vídeo tinha usado cocaína e, Lobão explicou, quando o cara fica assim ele fica muito vulnerável.

De tudo que Lobão falou, e ele fala aos borbotões, me bateu mais esse último comentário. Porque essa semana teve dois episódios aqui em Vitória-ES bombando na Internet. Primeiro foi de uma festa (ou rave) que aconteceu na Praia de Camburi e que o vídeo de uma garota embriagada fazendo sexo oral teria vazado e virado febre. A menina se queixava da exposição estar destruindo sua vida, etc. Um jornalista local disse que o ato era covarde e que sei lá o quê. Dois ou três dias depois desponta para o súbito estrelato a jovem de 19 anos Luiza Gomes, visivelmente “vulnerável”, dizendo que “a gente tenta tomar uma cerveja, mas mesmo assim não existe eficácia”...


O mega mico da estudante de direito virou uma coqueluche (cujo?) e gerou um festival, de reações alteradas. Primeiro fato curioso é o quanto uma certa galera se divertiu com a coisa, alguns comentários pela internet até escorriam saliva. Como é gostoso ver uma garota bonita, cheia de jóias, expor a sua vulnerabilidade! Alguns já partiram para comentários até sobre supostos atributos “siliconados” da futura advogada, já que os airbags do veículo pareciam intactos. Outros cogitaram a hipótese de que seu sex appeal, olhos verdes e cabelo escuro de feiticeira wicca, teriam hipnotizado a polícia que, ao invés de prender, misteriosamente a multou por ter parado em local inadequado e até a levou para casa.

É nesse ponto, quando chega na polícia, que a coisa descamba para a hipocrisia. “Que absurdo!” Gritaram uns. “Que vergonha hein?” Disse o repórter da Gazeta. Mas o fato é que o carro estava parado em local inadequado mesmo, a moça não estava dirigindo – porque não tinha mais a chance – aparentemente não tinha batido em outro carro nem atropelado ninguém. Supostamente um monte de infrações haviam sido cometidas, mas o que realmente aconteceu ninguém sabe. A maior bobagem mesmo que a Luiza fez foi estar doidarássamente vulnerável e ter resolvido dar entrevista para a televisão, link abaixo: 

Só pra encerrar, na Wikipédia tem uma explicação boa sobre a hipocrisia que diz, entre outras, o seguinte: “François duc de la Rochefoucauld revelou, de maneira mordaz, a essência do comportamento hipócrita: ‘A hipocrisia é a homenagem que o vício presta à virtude’. Ou seja, todo hipócrita finge emular comportamentos corretos, virtuosos, socialmente aceitos.” Pois, não mais que de repente somos todos uma nação de caretas, defensores da moral e dos bons costumes e achamos muito importante proclamar ardentemente isso nos sete mares do oceano cibernético.

É evidente que Luiza se meteu na roubada porque quis, sua história um dia alguém ainda vai contar ou não, mas não acho certo a mídia expor dessa maneira uma pessoa que comete erros como todos nós, ainda mais naquela idade, com a “intenção” de denunciar e prestar serviço à comunidade. Já que é pra usar de hipocrisia também vale perguntar: “esses vexames dão um Ibope danado, não?” Antes de atirarmos a primeira pedra devemos pensar que somos todos falíveis e que sofremos muito quando erramos. Vamos ter piedade, porque a dor de um de nós é a dor de todos. Ou como diria John Donne: “a morte de todo homem me diminui, porque estou envolvido em humanidade”...

Vejam o video acima do menino Cazuza no Canecão cantando o seu Blues da Piedade, medite sobre a vida e aproveite para curtir o domingão com quem você ama. Porque pro resto compadre: "não existe eficácia" ...

6 comentários:

Anônimo disse...

Gostei. Só tem uma coisa: qualquer ser humano mente. E não só o hipócrita finge emular comportamentos corretos, virtuosos, socialmente aceitos. Mas, qualquer pessoa. Todo mundo sabe que quem não seguir as regras sociais, entra pelo cano. Por isso, tenta se adaptar socialmente, mesmo que incomodando princípios do próximo. Um exercício constante de inserção e aceitação. Da infância à velhice.

Claudio Souza

Anônimo disse...

Caro JUCA Magalhães,
Por mim , só por ter esses atributos assim, essa moças( ?) já está isenta de qualquer penalidades. Vai ver que ela até gosta de ser duramente submetida (epa! ) a um cassetete militar.Vai saber. Nesse mundo há de tudo. E tudo vira espetáculo. Fico preocupado é com o pobre do guarda PM : Como será que ela se explicará, pra sua "patroa" em casa ? Talvez se explique bem melhor na tal Corregedoria.
Sim, moça bela e bêbada assim em via pública é melhor ser levada paera casa,deve ter assim pensado ,cheio de bom senso, o Tenente. Cotado ! Imaginem se eles deixassem ali a moça e ,depois,aparecesse estuprada e morta ( nao necessariamente nessa ordem ) ? Sim, o Tenente é um exemplo de eficaz segurança pública. Não o demonizemos,pois !

Marcos T.

Juca disse...

Um cara que tem uma filha, numa hora dessas deve pensar como um pai e dar graças a Deus que não aconteceu nada mais sério. A massa disforme e o cirdo da midia não: eles pensam como o estuprador... Obrigado pelo comentário meu querido.

Daniel Amaral disse...

Prezado Juca Magalhães,

Em relação a moça da última crônika... Que desperdício de juventude e de beleza...
Tomara que um dia ela se dê conta do ridículo da situação.
Se tal não acontecer, realmente não houve "eficácia nenhuma!".

Tenho acompanhado a suaS Crônikas de Domingo.
Parabéns pela verve e pelo non sense!

Abraços,

Juca disse...

Obrigado Daniel, acho que estou encontrando um "estilo" entre o non sense e a realidade. Obrigado pelo coment e um abraço para a terrinha...

Anônimo disse...

"Mas o fato é que o carro estava parado em local inadequado mesmo, a moça não estava dirigindo – porque não tinha mais a chance – aparentemente não tinha batido em outro carro nem atropelado ninguém. Supostamente um monte de infrações haviam sido cometidas, mas o que realmente aconteceu ninguém sabe. A maior bobagem mesmo que a Luiza fez foi estar doidarássamente vulnerável e ter resolvido dar entrevista para a televisão"

FINALMENTE, alguém escreveu algo coerente sobre o caso! De fato, quando a polícia chegou nenhuma infração criminal estava sendo cometida e, sem flagrante delito, a polícia não poderia prender a moça. Parabéns pelas ótimas ponderações!